Banner 1
Banner 1

Dicas de Saúde

Quais os Riscos da Bioplastia?

A cirurgia sem cortes pode ser a que mais presenta perigo

Avalie este post

A Bioplastia é vendida como um método de baixos riscos à saúde. Afinal, ela é, ao contrário das cirurgias plásticas tradicionais, uma alternativa que dispensa grandes cortes.

Essa qualidade costuma seduzir quem a escolhe por ser esteticamente mais aceitável, já que não existem cicatrizes realmente aparentes.

As consequências dessa escolha por um resultado visualmente melhor podem vir a ser graves.

O material utilizado nessa operação, o PMMA (polimetilmetacrilato) é liberado pela ANVISA para ser usado na Bioplastia e também em operações ortopédicas, odontológicas e cranianas, mas seu uso na plástica divide opiniões.

quais os riscos da bioplastia

Como é feita a Bioplastia?

A Bioplastia é feita com a introdução da substância PMMA dentro de camadas profundas do organismo com o auxilio de um instrumento chamado microcânula.

A aplicação desse material reage com o tecido do corpo, mas não é absorvido por ele. Partes minúsculas da substância se associam ao colágeno e tomam um volume específico e relativo (depende da interação com o corpo de cada indivíduo).

A técnica dura em torno de 45 minutos e é possível ter resultado imediato.

Não existe tempo de recuperação e raramente acorre alguma inflamação após a aplicação, sendo essas resolvidas dentro de pouco tempo.

Quais os Riscos da Bioplastia?

Os riscos desse método são relativos para cada paciente. Há fatores que influenciam no resultado final como a habilidade do médico no momento da aplicação e a disponibilidade genética do indivíduo operado de rejeitar o material injetado.

Além desses fatores, o PMMA possui características que comprometem sua confiabilidade.

Ele não é absorvido pela pele, ou seja, em longo prazo, ele pode ser expulso do tecido, causar inflamações, se deslocar, necrosar a área na qual foi aplicado, solidificar, hematomas entre outros problemas.

Qual é o Tempo de Reação?

Imediatamente, o resultado parece ser aquilo que os pacientes sempre sonharam, mas o que se vê depois de algum tempo, que pode levar até mesmo anos, são complicações irreparáveis.

Não há como se retirar completamente o produto do organismo. Sendo assim, se gasta muito tempo, dinheiro e saúde com a recuperação que não compensam a operação.

Recomendados Para Você:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.