Dicas de Saúde

Doença de Chagas: Causa, Sintomas, Tratamento e Prevenção

Doença de Chagas: Sintomas, Tratamentos e Causas

Doença de Chagas, também chamada tripanossomíase americana, é uma doença parasitária encontrada principalmente em áreas tropicais da América do Sul. É devida a um parasita, Trypanosoma cruzi, transmitido por um inseto para o homem ou animais.

Esta doença está presente apenas no continente centro e sul americano. Em primeiro lugar, de rural, tornou-se uma doença urbana por populações migratórias e através de transfusões de sangue.

Relacionadas com Africana tripanossomíase (doença do sono), é uma das principais causas de doenças cardíacas na América Central e América do Sul.

A Organização Mundial de Saúde estimou 6-7.000.000 o número de pessoas infectadas pela organização mundial, principalmente na América Latina. A infecção crônica é incurável, pode ser debilitante e até mesmo fatal.

Doença de Chagas

Doença de Chagas Epidemiologia

Identificado pela primeira vez no Brasil em 1909 por Dr. Carlos Ribeiro Justiniano Chagas (1879-1934), o protozoário Trypanosoma cruzi é responsável pela doença de Chagas. É transmitida por um inseto sugador de sangue, o triatomíneos ou barbeiro.

O barbeiro é um inseto Hemiptera da família Reduviidae. É um grande inseto de 2 a 3 cm, de cabeça alongada. As escalas são de cor vermelha ou laranja. Ela é incapaz de voar, alimentando-se de uma série em repouso.

O macho e a fêmea são sugadores de sangue e potenciais contaminantes. A mordida não é infecciosa. São os excrementos que acompanham a picada, que contêm tripanossomas.

A inoculação do parasita é então feita por qualquer ferida aberta, com os olhos ou boca. Isso é muitas vezes o próprio anfitrião que, arranhando, promove a passagem do parasita. Note-se que a mordida é longa (pelo menos 15 minutos) e indolor.

Vários outros modos de transmissão são possíveis em humanos: quando transfusão de sangue ou durante o transplante de órgãos infectados, ou durante a gravidez ou o parto, se a mãe está infectada.

Doença de Chagas ameaça um quarto da população da América Latina. O Brasil é o maior país endêmico para esta infecção.

O risco de infecção está fortemente associado com as condições socioeconômicas. O inseto vetor está situado em vigor nas fendas das paredes velhas ou telhados de casas pobres em áreas rurais e áreas urbanas periféricas. A doença entrou nas cidades da grande migração urbana dos anos 70 e 80, porque dessa migração, cerca de 300 000 pessoas infectadas vivem atualmente em São Paulo (Brasil) e 200.000 em Buenos Aires (Argentina).

Guiana Francesa não é poupada, porque as medidas de exclusão de dadores de sangue têm sido postas em prática localmente e estendido ao Hexagon para prevenir a transmissão transfusional.

Em fevereiro de 2006, uma nova diretiva do Parlamento Europeu sobre os excluídos qualquer qualidade transfusão de sangue de doadores ter hospedado mais de 3 meses em regiões endêmicas e não ter uma sorologia negativa para o parasita.

Doença de Chagas Ciclo Parasitário

O inseto vetor transmite o parasita que circulam em uma mordida deixando seus movimentos intestinais na pele do animal ou humano. O patógeno sob forma tripomastigota, multiplica e se diferencia em forma amastigota.

Esta nova forma continua a multiplicar-se por sua vez por invadir outras células no corpo e restaura uma forma tripomastigota circulante no sangue. O ciclo fecha-se quando um inseto leva sangue no organismo infectado.

No inseto, o parasita se reproduz e se alojou em seu reto sob forma epimastigota.

Doença de Chagas Sinais Clínicos

O período de incubação é de 5 a 14 dias. A doença então se desenvolve em 3 etapas.

A fase aguda pode ser assintomática ou marcada por febre, astenia, edema generalizado, diarreia, aumento do baço (esplenomegalia) e fígado (hepatomegalia).

Estes eventos são raros e normalmente desaparecem em um a dois meses. Ele também pode ter uma resposta inflamatória localizada no local da infecção (chagoma: tipo de ferver com nós por satélite) e um sinal de Romana (edema da mucosa no ponto de entrada).

A fase intermediária: é um sinal, sem fase clínica, que pode durar vários anos (até 20 anos).

A fase crônica: verifica-se em mais do que um terço das pessoas infectadas. Que envolve sérios efeitos cardiovasculares irreversíveis (arritmia, doença cardíaca) pode levar à morte (6% dos casos), distúrbios gastrointestinais (megaesôfago e megacólon), e mais raramente ataca o sistema nervoso periférico (desordens neurológicas).

Doença de Chagas Diagnóstico

Tripanossomíase é detectada pela presença de um agente infeccioso no sangue ao microscópio (mancha ou película de espessura), por meio de técnicas imunológicas para a detecção de antigênicos circulantes ou sorologia (teste de anticorpos).

Mas essa última técnica é menos específica: reação cruzada com leishmaniose.

Doença de Chagas Tratamento

Aguda, hospital com quimioterapia antiparasitária podem ser propostas: cura Nifurtimox por via oral 3 a 4 meses ou cura benznidazol durante um ou dois meses, também por via oral.

Eficiência é, infelizmente, muito inconsistente. Na fase crônica, benznidazole sozinha pode ser eficaz, as mesmas doses e na mesma duração de fase aguda.

Outros tratamentos são alvo apenas sintomático: restrição dietética de sal, diuréticos, antiarrítmicos, se a doença cardíaca, cirurgia em megacólon ou megaesôfago…

Doença de Chagas Prevenção

Para além do controle do vetor com inseticidas e mosquiteiros, não há maneira de controlar a doença de Chagas, nenhum tratamento eficaz para formas crônicas, não há vacina e não há profilaxia química.

Doença de Chagas: Causa, Sintomas, Tratamento e Prevenção (Vídeo)

Gostou do artigo? Leia também

Doença de Chagas

Doença de Chagas: Causa, Sintomas, Tratamento e Prevenção
5 (100%) 1 vote

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.