Dicas de Saúde

Maculopatia – Sintomas, Causas e Tratamentos

Maculou? Então, sujou!

Maculopatia

Maculopatia

Maculopatia é quando surge uma patologia da mácula. Se a mácula for afetada fique atento: disfunção visual na certa!

Mácula é uma pequena região da parte posterior da retina que é responsável pela visão central. Ela nos dá a visão dos detalhes, da leitura.

A mácula mede de 1 a 2 milímetros e ao trazer o foco, configura o seu pleno funcionamento. A mácula contém os fotorreceptores que são responsáveis pela percepção de detalhes.

Causas da Maculopatia

A estatística preocupa: degeneração macular é uma das principais causas de perda de visão no mundo.

Inúmeras são as causas. Conhecer os tipos de maculopatia que podem estar afetando seu campo visual é fundamental para garantir boa saúde dos seus olhos.

Descuidar, nem pensar! Consulte um oftalmologista periodicamente. Terá diagnósticos precoces e a prevenção para qualquer doença.

A degeneração se dá por depósitos de restos celulares que formam as drusas (cristais no fundo do olho). Os fotorreceptores serão destruídos. Vai ocorrer a proliferação anormal de vasos sanguíneos sob a retina.

Comprometimento da visão central, com as cores embaralhadas e as cicatrizes surgirão sem dó nem piedade.

Alguns dos Sintomas da Maculopatia

Conforme a doença avança os sintomas ganham força e trazem sérios danos para o campo da visão.

A perda da visão será inevitável, se não cuidar. Os sintomas mais comuns são: visão borrada com manchas; pontos luminosos que confundem; manchas no centro da visão e a diminuição da sensibilidade aos contrastes de luz.

O escuro fica apavorante por falta de adaptação. As linhas ficam tortuosas e para leitura só com iluminação intensa. De tanto forçar a vista, surge a inevitável dor de cabeça.

‘Pra Onde Tenha Sol é Pra Lá Que eu NÃO Vou…’

Maculopatia

Maculopatia solar ocorre com a exposição direta dos olhos ao sol por um tempo excessivo, durante um eclipse solar ou até mesmo num dia normal.

O perigo se dá pela falta de proteção adequada: óculos de sol. Até se a pupila estiver fechada, a observação por mais de 90 segundos passa a exceder o limite de segurança, para que não ocorram lesões na retina.

Esta patologia é muito comum em jovens que estão sob influência de drogas psicotrópicas ou em rituais religiosos que expõem os olhos a temperaturas altas.

Com o aumento da temperatura a retina poderá ficar lesada e acarretará a perda da visão. A maculopatia solar se apresenta em três estágios e em geral bilateral, contudo a lesão é mais grave no olho dominante.

  1. O centro ultra especializado da mácula é denominado de ‘fóvea’ que significa a região de máxima acuidade visual da mácula. Surge um ponto amarelado nesta área;
  2. Formação de eritemas (sinal clínico presente em várias patologias e caracterizado por um rubor da pele ocasionado por vasodilatação) com a formação de bolhas avermelhadas;
  3. Formação do buraco macular com a perda progressiva da visão.

Com o surgimento da maculopatia solar alguns sintomas aparecem juntos como a cefaléia, alteração das cores na visão, fotofobia e outros. Metamorfosias (distorção de parte da visão), fotofobia (sensibilidade à luz) discromatopsia (não distinção das cores) escotomas (manchas no centro da visão) e dor nas primeiras horas após a exposição solar.

Diabetes na Retina é Muito Comum

Maculopatia diabética é a mais freqüente, pois é conseqüência das complicações do diabetes na retina. É conhecida também como retinopatia diabética (pode afetar apenas a mácula ou toda a retina).

Este tipo de maculopatia afeta uma grande parte da população devido à preponderância da diabetes na vida atual.

O excesso prolongado de açúcar no sangue (hiperglicemia) gera maior absorção de líquido pelos vasos sanguíneos oculares levando ao inchaço da retina. Esse líquido transborda para o tecido próximo à retina e da mácula, formando um edema macular diabético.

Os vasos tornam-se mais enfraquecidos permitindo extravasar sangue, causando hemorragias e também gorduras para a retina. Com isso há o aumento da pressão ocular e a perda gradativa da visão.

Maculopatia Traumática Exige Intervenção Cirúrgica

A maculopatia traumática ocorre quando acontece como consequência de um traumatismo ocular.

O traumatismo pode ser fechado ou aberto e pode estar relacionado com corpo estranho intra-ocular.

Esses traumas podem ser por queimaduras oculares perfurantes, laceração palpebral, entre outros.

O pior prognóstico da maculopatia traumática é associada a corpos estranhos que atingem a mácula e implica sempre em intervenção cirúrgica.

Miopia Intensa Maculopatia na Certa

A maculopatia miópica é uma patologia que pode se complicar pelo alto grau de miopia. Pode ser patológica ou degenerativa.

A maculopatia miópica pode estar associada a outros problemas oculares como descolamento das retinas, cataratas, glaucoma, Síndrome de Stickler (distúrbio genético que acomete o tecido conjuntivo e o colágeno).

Degeneração Macular Não Atinge Apenas a Terceira Idade

Maculopatia degenerativa também conhecida como Degenerência Macular da Idade – DMI. Esta doença é muito freqüente e é considerada umas das principais causas de perda da visão em pessoas com idade superior a 65 anos.

Embora as causas sejam ainda desconhecidas, esta doença pode ser herdada geneticamente. A degeneração macular pode ser assintomática inicialmente e afetar apenas um olho.

Desenvolvimento da doença pode ser por:

  • Idade após 65 anos;
  • Predisposição genética;
  • Tabagismo (ativos e passivos);
  • Hipertensão;
  • Obesidade;
  • Dieta rica em gorduras e pobre em frutas e verduras;
  • Exposição demasiada ao sol.

Ao primeiro sintoma da DMI consulte um oftalmologista. Caso já exista a patologia DMI há tratamentos para evitar a progressão.

A degeneração macular ainda não tem cura total. Há casos de recuperação da visão perdida com os medicamentos de uso intra ocular anti-VEGF criado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

Degeneração Macular Seca ou Atrófica

A degeneração macular seca ou atrófica atinge 90% dos casos. A fase inicial da doença pode ser em consequência da idade avançada.  Os tecidos maculares são afinados pela deposição de pigmento na mácula.

Há um acúmulo de proteínas e gorduras conhecidas como drusas na retina; elas deixam as máculas mais finas e acabam por ocasionar a perda de visão.

Tudo começa com a dificuldade para as tarefas simples como ver o próprio rosto, escrever, ler, cozinhar, andar sozinho e outras atividades básicas.

A degeneração seca não tem cura. Os tratamentos são limitados, apesar de estudos para um final mais feliz.

Degeneração Macular Úmida ou Exsudativa

A degeneração úmida ou exsudativa responsável por 10% dos casos pode chegar de repente e provocar perda total da visão.

O tratamento mais eficaz para esse tipo de degeneração é a aplicação de medicamentos dentro do olho.

Essa medicação é conhecida como antiangiogênicos e impedem o crescimento dos vasos anormais e são capazes de estabilizar a doença.

Maculopatia Tóxica Por Antimalárico

As drogas como a cloroquina e outras usadas no tratamento e controle das doenças reumáticas e da malária, quando possui um uso constante é responsável pela maculopatia tóxica.

Começa então a surgir uma degeneração da mácula da retina e a perda progressiva da visão.

Quem faz esse tipo de tratamento deverá periodicamente consultar um oftalmologista, mesmo que ainda não tenha sentido algum sintoma referente à maculopatia.

Se tiver mais de 60 anos mais um motivo para buscar um especialista. Se for mais jovem e apresentar alguma predisposição à doença, tome uma atitude!

Diagnóstico da Maculopatia

Maculopatia

É feito através de um exame chamado mapeamento de retina que só pode ser realizado por um oftalmologista. Avalia o fundo de olho que analisa a periferia retiniana.

Este mapeamento proporciona uma investigação detalhada, avalia os vasos sanguíneos, o nervo óptico e a retina central e periférica.

A Retinografia é um exame de imagem que fotografa as áreas do fundo do olho como a retina. Ela serve para documentar o nervo óptico em casos de glaucoma ou a retina em casos de diabetes e diversas outras doenças.

Existem outros exames especiais que ajudam também nos diagnósticos e no combate à evolução da doença: angiografia retiniana e angiografia com indocianina verde.

A angiofluoresceinografia retiniana é um exame que propicia a descoberta de lesões e outras anomalias que possam acometer várias partes do fundo do olho, como a retina, nervo óptico e coróide.

Tratamento da Maculopatia

Maculopatia

De cara, mude o estilo de vida. Diminua o consumo de gorduras e mantenha um peso saudável. Controle a pressão arterial e escolha dietas ricas em folhas verdes, frutas, grãos integrais, peixes, nozes, castanhas e amêndoas.

Abandone o cigarro que ajuda muito na evolução da doença e saiba  respeitar quem não fuma.

A terapia fotodinâmica pode controlar a degeneração macular onde é colocado um corante sensível à luz (verteprofina) e é injetado na veia. Essa terapia não ajuda a melhorar a acuidade visual, mas limita a perda.

Outro recurso é a injeção intraocular que reduz a proliferação de vasos sanguíneos (antiangiogênicos). Existem dois medicamentos que são aplicados na consulta: ranibizumab e bavacizumab.

Caos de cirurgia para extrair os vasos sanguíneos acumulados na mácula, somente em situações muito especiais: destacamos o buraco de mácula, membrana epirretiniana (também chamado de Pucker Macular), edema de mácula do tipo tracional e a síndrome de tração vitreomacular.

Existem esperanças de chegarmos à velhice com a visão preservada.

Para evitar Maculopatia

  • cigarro!
  • Use óculos com proteção contra raios ultravioleta;
  • Escolha alimentos ricos em vitaminas e sais minerais;
  • Use com orientação suplementos vitamínicos com propriedade antioxidante;
  • Mantenha seu peso e controle a pressão arterial;
  • Não dê mole! Consulte o oftalmologista no primeiro sintoma.

Cuidado com Fakeneews!

Foi divulgado fartamente nas redes sociais um boato que levou muita gente a ficar apavorada.  Que dizia: uso de telefone celular no escuro causaria maculopatia  ou câncer de olho.

Para começar maculopatia não é igual a câncer de olho. Maculopatia é uma doença degenerativa causada por diversos fatores, já o câncer de olho é um melanoma ou linfoma que afeta a região ocular.

A maculopatia como outras doenças degenerativas não tem cura, mas o câncer de olho tem cura.

Maculopatia  (Vídeo)

Gostou do Artigo? Leia Também:

Maculopatia – Sintomas, Causas e Tratamentos
4 (80%) 1 vote

Recomendados Para Você:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.