Dicas de Saúde

Síndrome De Serotonina – Hormônio Da Felicidade!

A Síndrome De Serotonina Pode Causar Sintomas Graves Na Sua Saúde

A Síndrome de Serotonina pode trazer problemas graves para a saúde, vai afetar a forma como você enfrenta os dias e levar até ao coma. Entretanto, não podemos descartar que a serotonina é o hormônio da felicidade, é o que nos faz acordar todos os dias e ter motivação para viver. Sem esse hormônio seríamos como verdadeiros zumbis e viveríamos sempre com pensamentos negativos.

Existem substâncias químicas no nosso cérebro que permitem que os neurônios passem sinais entre eles e para as células do corpo, são eles: A dopamina, endorfina, ocitocina e a serotonina. Essa manifestação é importante para resultar nos nossos comandos vitais. Há muitos neurotransmissores encarregados de entregar a mensagem do cérebro e um deles merece ser destacado: A serotonina.

A felicidade é um estado interior que resulta em se sentir bem consigo mesmo e está feliz. E acredite se quiser, vivem hormônios dentro do nosso corpo que se encarregam de produzir a nossa felicidade, porém, a baixa produção desses hormônios resultam em depressão, baixa autoestima, tristeza e muitos outras reações. Contudo, algumas pessoas necessitam elevar o nível de serotonina com medicamentos e outras tentam com substâncias ilegais, o que podemos chamar de síndrome de serotonina.

Como a Serotonina Age no Cérebro?

Síndrome De Serotonina

Quando não há uma síndrome de serotonina, o cérebro consegue captar as suas informações perfeitamente. A serotonina te dá a certeza que você é uma pessoa amada e que está inserida no meio social como uma pessoa especial. Fornece uma segurança de não está sozinho e deixa longe qualquer tipo de pensamento ou sensação que pode levar a depressão. Por isso, ela é chamada de hormônio da felicidade e do amor.

Para liberar a serotonina no cérebro você pode fazer isso naturalmente. Apesar de existir formas de induzir a serotonina quimicamente, é mais seguro estimular de forma natural! Comece com atividade física aeróbicas, como andar de bicicleta, caminhar e correr. Tire um tempo para relembrar de todos os momentos felizes da sua vida. Entre os amigos isso pode ser mais fácil!

Dizem que a saudade também faz muito bem à saúde, por isso, veja fotos antigas e recorde de pessoas que passaram na sua vida e fizeram alguma diferença, pode ajudar na produção de serotonina. “Vire uma planta” e tome um pouco de sol (sem exageros), mas o banho de sol ajuda muito na produção de serotonina no cérebro.

O Que Causa a Síndrome de Serotonina?

É possível identificar uma síndrome de serotonina quando uma pessoa apresenta algum transtorna que prejudica a produção da substância naturalmente pelo o cérebro. E quais são esses transtornos? Ansiedade, depressão, transtorno alimentar e muitas outras causas que podem levar a síndrome.

Para entender o papel da serotonina, precisamos saber que a no nosso cérebro os neurônios nunca se encontram, eles se comunicam através da sinapse, que é um espaço que há entre eles. É lançado neste espaço um neurotransmissor (serotonina), que encaixa como se fosse uma chave numa fechadura no outro neurônio. Isso faz com que esse segundo neurônio sofra uma reação elétrica, libere serotonina de volta, que é recaptada pelo neurônio que liberou a substância inicialmente.

Quais Substâncias Ajudam a Aumentar a Serotonina?

Podem ser encontrados várias substâncias lícitas que podem ajudar na produção da serotonina, como a aminoácido triptofano, medicamentos como lítio, antidepressivos e entre outros. Essas são as substâncias usadas legalmente para tratamentos e indicadas através de receitas médicas.

No entanto, algumas pessoas tentam aumentar a serotonina de uma forma mais radical e optam por drogas ilícitas, como drogas anfetaminas, cocaína, LSD e muitas outras drogas.

A síndrome de serotonina é apresentada quando uma ou mais dessas substâncias são ingeridas ao mesmo tempo. O que pode ser um risco causado por substâncias orientadas ou até mesmo pelas ilegais.

Quais os Sintomas da Síndrome de Serotonina?

O diagnóstico para a síndrome de serotonina é feito em pessoas que estão fazendo uso exagerado de substâncias sem ter um motivo específicos. Os sintomas incluem:

  • Agitação;
  • Alterações mentais, como confusão ou hipomania;
  • Arrepios;
  • Diarreia;
  • Espasmos musculares (mioclonia);
  • Febre;
  • Movimentos descoordenados (ataxia);
  • Reflexos neurológicos aumentados (hiperreflexia);
  • Sudorese intensa sem que tenha havido qualquer atividade física exaustiva;
  • Tremores;
  • Alterações na pressão sanguínea;
  • Alucinações;
  • Náusea;
  • Perda de coordenação;
  • Ritmo cardíaco rápido e pressão sanguínea alta;
  • Temperatura corporal aumentada;
  • Vômitos.

Como é Feito o Diagnóstico da Síndrome de Serotonina?

Síndrome De Serotonina

Para haver o diagnóstico da síndrome de serotonina, o paciente precisa indicar 3 dos sintomas citados anteriormente. Assim, é possível descartar qualquer outro tipo de doença. Para isso, é feito os seguintes exames laboratoriais:

  • Hemograma completo;
  • Culturas de sangue;
  • Exame de drogas (toxicologia);
  • Eletrocardiograma;
  • Testes de função da tireoide;
  • Níveis de eletrólitos;
  • Testes de função renal e hepática.

Depois de descoberto a síndrome de serotonina através de diagnósticos clínicos, já é possível iniciar os principais tratamentos:

  1. Introdução de benzodiazepinas para reduzir a agitação e movimentos convulsivos;
  2. Hidratação;
  3. Retirada dos medicamentos ou substâncias que deram origem ao quadro;
  4. Uso de Ciproeptadina, que é um antialérgico mas que também inibe a produção de serotonina.

O que é a Síndrome De Serotonina? (Vídeo)

Gostou do artigo? Leia também:

Síndrome De Serotonina – Hormônio Da Felicidade!
5 (100%) 1 vote

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.